As certificações podem ajudar-nos a fazer melhores escolhas, pois comprovam que as marcas cumprem com as promessas que fazem.

Na moda também existem certificações, algumas específicas e outras genéricas.

Embora as entidades que certificam sejam por norma independentes, este nem sempre é um processo transparente. O que não significa que não possamos ter em consideração a certificação na hora de comprar – só não devemos ter é esse único critério de compra.

As certificações mais comuns na indústria da moda

Global Organic Textile Standards

Certifica materiais orgânicos. Para conseguir a aprovação, as marcas têm de cumprir com critérios de responsabilidade social e económica na sua cadeia de valor, e 70% dos materiais usados serem de origem orgânica.

Global Organic Textile Standards

B Corporation

Destina-se a reconhecer empresas que trabalham critérios, além do lucro, para desenvolver o seu negócio. Como impacto ambiental, responsabilidade social ou transparência.

B Corporation

Better Cotton Initiative

O algodão é uma fibra natural e uma boa matéria para desenvolver têxtil, degradando-se com menor impacto. No entanto, o seu consumo de água e práticas agrícolas colocam-no como uma das culturas mais penalizadoras para o ambiente. Esta certificação reconhece o seu cultivo e tratamento responsável.

 Better Cotton Initiative

Fair Trade

Uma certificação de comércio justo que reconhece quem cuida do planeta e dos seus habitantes, colocando-os acima do lucro. Esta organização apoia projetos para que se tornem mais sustentáveis, contribuindo assim para que o comércio justo seja uma realidade para todos.

Fair Trade

 Standard 100 by OEKO-TEX

Trabalha sobre a segurança dos tecidos, e outros componentes da roupa, garantindo que são seguros à utilização do ser humano. Cada matéria tem o seu critério, dependendo do fim a que se destina. Por ex, um tecido para roupa interior tem critérios de segurança mais apertados do que um tecido para uma carteira.

 Standard 100 by OEKO-TEX

Já conheciam estas certificações, ou outras? Costumam ver nas peças de roupa que compram?

Fonte: Guia para as certificações de Moda sustentável, Vogue

Outros artigos que podes gostar

Dress and go!

Há quem considere que os vestidos não são versáteis e que não se enquadram no conceito de eco-style pelo facto de serem peças únicas e, como tal, não permitirem criar variedade nos looks. Eu discordo e garanto que modificar esta crença irá multiplicar os vossos...

O fim da fast fashion?

A União Europeia tem vindo a apertar o cerco à indústria têxtil, com regulação mais apertada para as peças que se destinam ao mercado europeu. O objetivo? Reduzir o impacto ambiental da indústria, aumentando a durabilidade das peças. Os requisitos são variados, desde...

Elementos naturais no calçado

Em tons de areia, as sandálias de croché, corda, ou ráfia esbanjam naturalidade e são ótimas para compor looks descontraídos. Apesar disso, o seu uso não se limita aos piqueniques ou às férias na praia, com a roupa certa estas podem ser usadas para trabalhar (se o...

Camisa clássica, mas nem tanto!

Apelidada de clássica e sendo considerada uma peça indispensável do dress code business formal, a camisa também sai à rua para descontrair. A sua versatilidade oferece uma grande liberdade para criar composições interessantes, logo o facto de ser formal, ou não,...

Desafio: a mesma peça, vários looks!

Nunca me cansarei de afirmar que sermos adeptas de um Eco Style não significa apenas usarmos roupa com produção ética e feita de materiais sustentáveis. Significa também darmos muito uso a todas as peças que possuímos. Afinal, um consumismo exagerado de roupa...

Coordenar rosa com habilidade

Se por um lado, o color block* está in. Por outro lado, esta temporada o rosa, em todas as suas tonalidades, assume-se como um dos protagonistas. Assim, saber coordená-lo com outras cores é uma habilidade que pode permitir tirar os looks do comum e revelar empenho na...

Hoodie com saia by Breathing Style

Confortável e prático o hoodie, sweatshirt com capuz, é considerado uma peça essencial tanto do sportswear como do loungewear. Mas o seu potencial não se fica por aí! Surpreendentemente versátil, é possível inseri-lo em looks dignos de destaque no street style. Se...

O que é design circular?

No design de moda, são usados recursos com o objetivo de fazer roupas lindas, que cumpram a sua função. De conforto, de proteção, de adorno e até de integração social. Até agora, e com raras exceções, não é considerado no processo de design o que fazer com as roupas,...

Se foi comprado é para ser usado by Breathing Style

Lila, porque razão faz posts com roupa em segunda mão? Não são peças sem estilo e difíceis de usar? Eis duas questões que ouvi esta semana enquanto efetuava uma consultoria de imagem. Pois bem, o objetivo desta rubrica é consciencializar as leitoras para o potencial...

A (frágil) sustentabilidade financeira da segunda mão

Quando se fala em sustentabilidade, estamos muitas vezes a referir-nos à questão ambiental. Mas, na verdade, o conceito de sustentabilidade assenta em 3 pilares: Ambiental Social Financeiro Isto acontece porque, essencialmente, não pode existir Sustentabilidade sem...
Casacos

Há para todos os estilos

Calças

Jeans, clássicas ou casuais

Vestidos

Atrevidos, formais ou descontraídos

Recebe novidades em primeira mão

Ideias, sugestões e inspiração para uma vida mais sustentável

Novidades de novas peças em loja

* indicates required


Para subscrever, é necessário aceitares o envio por email.


Podes remover a tua subscrição a qualquer momento

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp’s privacy practices here.


%d bloggers like this: