Sabemos que a sustentabilidade vende, já ninguém tem dúvidas disso. No entanto, já não é suficiente que uma marca, ou loja, venda um saco reutilizável, para se impor como sustentável. Os consumidores estão mais exigentes, informados e querem saber em que tipo de sustentabilidade é que as marcas estão a trabalhar.

São os consumidores que estão a fazer com o movimento para a sustentabilidade seja mais rápido.

Seja por razões ambientais, seja por razões políticas, os consumidores estão mais conscientes e atentos à forma como compram. E procuram, nos produtos, algum tipo de validação dos esforços das marcas. Essa validação vem, muitas vezes, através das certificações.

Assim, surgiram, ao longo dos últimos tempos, algumas certificações de sustentabilidade, de várias áreas de consumo, que gostávamos de partilhar.

Muitas delas estão presentes em Portugal, outras não estão mas hão-de chegar um dia. Fizemos uma pequena lista que esperamos que seja uma ajuda, no momento de ir às compras. Há tantos selos e símbolos nas embalagens que, às vezes, podemos sentir-nos perdidos. A lista tem uma ordem alfabética para ser de fácil consulta.

B Corporation

Valida que o negócio faz uma avaliação do impacto das suas operações/decisões nos colaboradores, clientes, comunidade e ambiente.

Better Cotton Innitiative (BCI)

Promove e implementa um standard de produção, baseada em princípios de sustentabilidade, justiça social e desenvolvimento económico, aplicado a toda a cadeia de abastecimento.

Best Aquaculture Practices (BAP)

Assegura a sustentabilidade em produtos de aquacultura.

Biodegradable Products Institute (BPI)

Assegura que os produtos são compostáveis.

Bluesign

Verifica que as empresas estão a cumprir a legislação, relativamente ao ambiente. Combina critérios como, a segurançao do consumidor, consumo de água, emissões de carbono e redução de utilização de substâncias nocivas, em fases iniciais de produção.

Cotton Made in Africa (CMIA)

Promove a proteção ambiental e o combate à pobreza, dos pequenos proprietários de terrenos, que produzem algodão no continente africano.

Cradle to Cradle

Coloca em evidência os esforços feitos pelas empresas, para conseguirem desenvolver um produto com design eco-inteligente. Abrange desde os materiais, a reciclabilidade, a utilização de energias renováveis, a eficiência de consumo de água e a responsabilidade social das empresas.

Ecocert

Certifica as marcas que alegam que o seu produto é orgânico.

Energy Star

Aprova e partilha informação relativa ao consumo de energia de determinados produtos e equipamentos.

EPA Safer Choice

Identifica e certifica os produtos que têm uma performance mais segura e saudável, para as pessoas e para o ambiente.

Fair Trade Certified

Esta certificação garante que a marca é líder em desenvolvimento sustentável e responsabilidade social corporativa. Nesta certificação, há vários sub-sistemas, que se dedicam a áreas específicas: produção de algodão, setor têxtil e toda a cadeia de abastecimento, produção artesanal e de pequenos agricultores, certificação de ingredientes utilizados em produtos alimentares.

GLOBALG.A.P.

Certifica que os negócios e as práticas agrícolas são seguras e sustentáveis.

Global Organic Textile Standard (GOTS)

Certifica um standard para o processo de produção de fibras orgânicas texteis, ao longo de toda a cadeia de abastecimento.

Global Recycle Standard (GRS)

Define os critérios que podem ser auditados por uma empresa externa, relativos a conteúdo reciclado, rastreabilidade, práticas sociais e ambientais e restrições, em termos de químicos utilizados na produção de um produto.

Green Business Bureau (GBB)

Permite que as empresas percebam, implementem e certifiquem práticas de negócio ecológicas/verdes.

Green Seal

Certifica produtos, serviços, restaurantes e hotéis, baseando-se em critérios de performance, saúde e sustentabilidade.

Leadership in Energy and Environmental Design (LEED)

Certifica negócios que criam edificios verdes, saudáveis, altamente eficientes e com redução de custos de operação e manutenção.

Marine Stewardship Council (MSC)

Certifica o marisco de produção sustentável.

Organic Cotton Standard (OCS)

Verifica que o produto final contém a quantidade de algodão orgânico necessária para ser considerado um produto orgânico. Não certifica a origem dos materiais, o processo de produção, o impacto ambiental nem questões relacionadas com os direitos dos trabalhadores.

Oeko-Tex

Certifica que os tecidos utilizados em produtos têxteis são seguros e não têm substâncias tóxicas.

Programme for the Endorsement of Forest Certification (PEFC)

Assegura que as empresas promovem uma gestão sustentável das florestas.

Rainforest Alliance

Assegura que as plantações vão ao encontro dos critérios ambientais, sociais e económicos, associados com o standard de Agricultura Sustentável.

Responsible Wool Standard

Assegura o bem estar das ovelhas e a qualidade dos terrenos de pasto. Esta certificação também assegura a rastreabilidade, desde o pasto até ao produto final.

SA8000

Com base nas deliberações da ONU, certifica as empresas que promovem os direitos humanos dos trabalhadores, em todo o mundo.

Seafood Watch Green Rating

Assegura que as marcas vendem marisco pescado ou produzido com o mínimo impacto para o ambiente.

TRUE Zero Waste

Dá suporte e certifica as marcas que alcançaram os objetivos de zero desperdício, limitando a quantidade de lixo necessária para desenvolver o negócio.

Fontes:

A indústria da moda é a segunda mais poluente do Mundo – Mito ou realidade?

Para quem anda atento às questões da sustentabilidade na moda, já se deparou de certeza com a frase A indústria da moda é a segunda mais poluente do Mundo, a seguir à petrolífera. Na realidade, esta frase está em imensos sites, blogs e imagens de Instagram, sendo...

As transparências não precisam ser intimidantes!

As blusas transparentes são versáteis, tal como pede o Eco Style, elegantes e sofisticadas. Fáceis de combinar, tanto podem ser usadas no dia a dia como numa saída à noite que exija uma produção mais requintada. Apesar disso, há quem tenha receio de as usar. Como...

Quais as certificações de sustentabilidade que já existem

Sabemos que a sustentabilidade vende, já ninguém tem dúvidas disso. No entanto, já não é suficiente que uma marca, ou loja, venda um saco reutilizável, para se impor como sustentável. Os consumidores estão mais exigentes, informados e querem saber em que tipo de...

A roupa de família da Ana

A Ana Pereira é amiga de uma amiga. Nem nos conhecemos pessoalmente, mas já falámos por videochamada e está prometido um café para dar 2 dedos de conversa. Ela é produtora de conteúdos na área da sustentabilidade e a roupa em segunda mão faz parte da sua dinâmica...

Tingir os tecidos que perderam a cor – Dica#16

Começamos a semana com dicas para cuidar bem da nossa roupa. Hoje trazemos a dica #16! Tingir os tecidos que perderam a cor É uma ótima forma de recuperar peças de roupa que ainda estão ótimas, mas a cor já está comprometida. Isto acontece especialmente com o preto,...

Arrumar bem a roupa faz a diferença – Dica#15

Começamos a semana com dicas para cuidar bem da nossa roupa. Hoje trazemos a dica #15! Arrumar bem a roupa é uma ótima forma de a manter mais bonita. Mas como fazê-lo? Deixamos algumas ideias: Camisolas sempre em gavetas ou prateleiras Se forem penduradas, e quanto...

O que realmente importa na indústria da moda?

Gosto muito de navegar no site Treehugger. É possível encontrar por lá artigos de opinião, notícias, inovações, ações que estão a ser levadas a cabo, estatísticas, dicas de como ter uma vida mais sustentável. Enfim, muitos temas que interessam a quem procura, de forma...

Usar bem a máquina de secar – Dica#14

Hoje trazemos a nossa Dica #14 para cuidarmos da nossa roupa para durar mais tempo. E esta dica é mesmo condizente com o tempo de chuva e humidade que se faz sentir. Usa bem a tua máquina de secar. Com este tempo, muitas vezes recorremos à máquina de secar, que é a...

A segunda mão como primeira opção

Já há uns anos que, tanto eu, como a minha cara metade, fazemos compras em 2ª mão. No início, começámos com tudo o que eram bens que tivessem pouca utilização, ou que fossem muito caros. Com o tempo, fomos migrando este comportamento para basicamente tudo o que...

O casaco leopardo que passou de Mãe para filha

A Lila é nossa parceira na rubrica Eco Style, onde partilha stylings com peças que temos na nossa loja. No fundo, faz as nossas peças ganharem mais vida! Através da Breathing Style, a Lila faz consultoria de imagem a mulheres, procurando ajudá-las a encontrar o seu...
%d bloggers like this: