Um destes dias vi o documentário “River Blue”. Existem muitos documentários sobre a indústria da moda, e do seu impacto a nivel global. O realizador elege a abordagem que vai querer dar ao filme e, por isso, os vários trabalhos que têm surgido têm focos diferentes:

  • alguns focam-se no impacto social e das condições de vida, das pessoas que trabalham na indústria, e que não conseguem ter uma vida digna
  • outros focam-se no impacto que os químicos utilizados têm na saúde das comunidades onde as fábricas estão localizadas
  • outros ainda olham mais para o impacto ambiental desta indústria

O River Blue aflora um pouco todas estas áreas.

Segue a perspetiva de um conservadorista de rios, que percebeu que a indústria da moda está a pôr em causa a sobrevivência dos rios, nas zonas do mundo onde esta indústria está mais presente.

Mas o que, para mim, que sou leiga no assunto, parecia uma perspetiva um pouco limitadora, acabou por se mostrar uma das mais completas, dentro deste tipo de documentário.

Os rios são fontes de vida. Nas suas margens, nascem pequenas localidades que, mais tarde, se tornam grandes cidades.

Nas suas margens, as populações fazem as suas plantações e, com as suas águas, as irrigam. As comunidades locais usam a água dos rios para as suas atividades diárias, como tomar banho, fazer comida ou beber. Os rios são ainda a fonte de alimento para muitas pessoas que lá pescam, bem como fonte de rendimento para aquelas que fazem do seu leito a sua loja, o seu local de negócio.

Entre os rios mais poluídos do mundo podemos encontrar o rio Citarum na Indonésia, o rio Yamuna na Índia e o rio Buriganga no Bangladesh.

Não é coincidência que estas sejam também as principais origens e locais de produção eleitos da indústria têxtil. São países com pouca, ou nenhuma, regulação ambiental e laboral e são os escolhidos por uma indústria que pretende transmitir e divulgar o glamour.

O efeito dos químicos utilizados na indústria da moda é a causa da morte de muitos rios.

Um rio morto é um rio que destroi e corroi as comunidades por onde passa. Adoece quem utiliza as suas águas (na comida, no banho, para beber), quem se alimenta dos seus peixes, e da comida produzida nas suas margens, quem tem que o atravessar para ir trabalhar ou estudar.

Ou seja, para além do impacto direto na vida dos trabalhadores das fábricas, afetas a esta indústria

  • falta de condições de trabalho no que respeita a segurança e salubridade
  • remuneração muito aquém do que é necessário para uma vida condigna
  • precariedade das relações laborais, etc

há que considerar todo o impacto indireto, da indústria, na restante comunidade:

  • nas crianças que crescem neste tipo de ambiente
  • nas pessoas que não trabalham nas fábricas, e que tentam fazer as suas vidas noutras atividades (agricultura, pecuária, professores, serviços vários)
  • nos animais domésticos e selvagens, que também povoam as margens e os rios
  • na própria natureza que tenta sobreviver a estas condições cada vez mais degradantes

No entanto, existem formas de fazer roupa que não têm este impacto, nem nas pessoas, nem na natureza.

Quando escolhemos uns jeans novos baratos, devemos sempre pensar em tudo o que está por detrás, para conseguir um baixo custo. Não são apenas os trabalhadores da indústria que pagam este baixo custo, mas sim toda uma comunidade de pais, mães, filhos avós, pessoas como nós, que vêm a sua saúde posta em causa. São todos os animais, que não têm qualquer responsabilidade da degradação dos seus habitats e é toda uma zona do mundo que está em desequilíbrio ambiental e que, inevitavelmente, vai ter consequências no resto do planeta.

 

Vê o trailer do Doc River Blue

Ouve os responsáveis por este doc numa entrevista

Pensar antes de comprar – Dica#34

Há alguns materiais que requerem mais manutenção e cuidados. Incluíndo alguns que precisam de cuidados específicos, que não se pode ter em casa, como a limpeza a seco. Para minimizar esse tipo de cuidados, que têm também maior impacto no ambiente, pensa e avalia o...

Tirar nódoas de café – Dica#33

Temos andado a partilhar como tirar nódoas difíceis, como tirar sangue, terra ou tomate. Há amantes de café por aí? Saborear um café é ótimo. O que já não é ótimo é quando cai na roupa! Por isso hoje partilhamos como tirar nódoas de café Molha a zona da nódoa com água...

O que fazer a peças de lingerie que deixaram de servir

As peças de lingerie, como cuecas e soutiens, dificilmente encontram novo dono, quando deixam de servir. E, pela sua dimensão e formato, são mais difíceis de reutilizar ou dar novas finalidades. Por isso, mesmo que as uses até estarem bem velhinhas, vai haver um dia...

Eu adoro trapos

Cruzámo-nos com a Cláudia no Instagram, como com quase todos os testemunhos que por aqui partilhamos. Ela criou a página Laud Sustainable, onde partilha informação, marcas e pessoas dedicadas a uma moda mais consciente. Defende uma valorização das peças, para que não...

Tirar nódoas de tomate – Dica#32

Temos andado a partilhar como tirar nódoas difíceis, como tirar sangue e tinta ou tirar terra. Estamos a entrar na época do tomate, por isso esperamos que esta dica possa ser útil! Como fazer? Com uma faca de manteiga, retira cuidadosamente o excesso de molho de...

Shop dropping ou uma forma gentil de protesto

Há quem pegue em cartazes e vá para a rua protestar.Há quem crie hashtags e todo um movimento de protesto.E também há quem o faça de forma mais discreta. Sarah Corbett é uma ativista nata, tendo um historial de preocupação com questões sociais desde pequena. Mas não...

Lavar terra – Dica#31

Na semana passada, partilhámos como tirar sangue e tinta. Hoje continuamos com as nódoas difíceis, ensinando como tirar nódoas de terra. A terra é natural, claro, mas isso não significa que não deixe nódoas na roupa. Principalmente se misturada com outras substâncias,...

Será que preciso mesmo disto?

O Ayala Botto é biólogo, escuteiro, trabalha no Zoo de Lisboa, adora viajar e abraçou a missão de proteger a Natureza. Fá-lo através do seu trabalho, em colaboração com uma série de iniciativas, mas também estando disponível para conversas e partilhas. Na sua página...

Lavar sangue ou tinta – Dica#30

Uma nódoa estraga completamente uma peça. E aquelas difíceis podem colocá-la totalmente de parte, sem nunca mais ser usada. Por isso vamos trazer alguns métodos para tirar nódoas específicas - o de hoje é para sangue ou tinta. Coloca uma toalha debaixo da área com a...

Sobre o doc River Blue

Um destes dias vi o documentário “River Blue”. Existem muitos documentários sobre a indústria da moda, e do seu impacto a nivel global. O realizador elege a abordagem que vai querer dar ao filme e, por isso, os vários trabalhos que têm surgido têm focos diferentes:...
%d bloggers like this: